Empresário fez caricatura divertida do pai nas costas.

Pai e filho se divertem com desenho tatuado nas costas (Foto: Arquivo Pessoal)

Irmãos também ousaram; um deles fez no pescoço o ‘Lobo Pai’.

 A caricatura chama a atenção, principalmente pelos detalhes. O ‘bigodão’ do pai, um especialista em direitos do consumidor em Mogi das Cruzes (SP), não deixa dúvidas de quem o empresário Plínio Boucault, de 25 anos, é filho. O desenho por si só já revela o grau de parentesco. “Quando vi esse desenho em uma charge de jornal na cidade achei cômico e resolvi homenageá-lo. Queria fazer algo engraçado, assim como ele é”, conta o filho.

A ideia de homenagear o pai, Dori Boucault, surgiu aos 19 anos. Essa foi a primeira tatuagem de Plínio, que após ter ‘sofrido’ para grafar o amor pelo pai nas costas teve de enfrentar uma outra batalha: a aprovação. “Meu pai não gosta de bebida, cigarro nem de tatuagem. Nesse ponto ele é bem sistemático e, de primeiro momento, ele achou uma ofensa e não gostou”, relembra.

Por conta da homenagem, Dori ficou três dias sem falar com o filho. “Quando ele chegou em casa e disse que tinha uma surpresa, eu estiquei o braço para receber. Meu filho, então, disse que não era para pegar e sim para olhar. Em seguida tirou a camisa e me mostrou as costas. Imediatamente, perguntei se dava para tirar. Quando ele falou que era definitiva, fiquei bravo e subi para o quarto e não falei mais nada. Foi assim durante uns três dias”, lembra Dori.

Mesmo com a reação do pai, o empresário afirma que nem por um instante se arrependeu do que fez. “Nunca me arrependi de ter feito. Ele é meu herói e sempre vai ser. Me espelho nele como profissional e como pai”, conta.