A partir de janeiro de 2014, nove de cada dez tintas utilizadas hoje na Europa para tatuagens poderão ser proibidas na França.

A informação é do site da Rádio França Internacional (RFI).

A decisão ministerial que entrará em vigor foi baseada na lista publicada no início do ano pela
Agência de Segurança do Medicamento e dos Produtos de Saúde (ANSM) da França, que fixa as substâncias que não podem entrar na composição das tintas usadas no processo de pigmentação artificial permanente da pele.

O governo francês utilizou como base para definir as proibições um documento que veta o uso de certas substâncias em cosméticos.

tatuagem

tatuagem colorida do francês Xoïl, que a partir de janeiro poderá ter sua arte de vanguarda impressa na pele restringida

 

Em contrapartida, o Sindicato Francês de Artistas Tatuadores (SNAT) está mobilizado tentando adiar o prazo da aplicação e rever a lista de proibições. Uma petição online já conta com mais de 100 mil assinaturas. Dizem os tatuadores que os casos de alergias e queloides provocados pela tatuagem são raros e que não constituem uma “questão real de saúde pública”, e que os países vizinhos continuarão autorizando esses pigmentos, o que faria os clientes migrarem para outros estúdios fora da França.

No Brasil, em 2008, a Anvisa, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, passou a controlar também as tintas nacionais e importadas usadas nos estúdios brasileiros, mas não baniu cores do mercado.

 

_______________________________________________________________________________________