Há mais de 3500 anos atrás, a tatuagem já existia como forma de expressão da personalidade ou de indivíduos de uma mesma comunidade tribal (união de pessoas com as mesmas características sociais e religiosas). Os primitivos se tatuavam para marcar os fatos da vida biológica: nascimento, puberdade, reprodução e morte. Depois, para relatar os fatos da vida social: virar guerreiro, sacerdote ou rei; casar-se, celebrar a vida, identificar os prisioneiros, pedir proteção ao imponderável, garantir a vida do espírito durante e depois do corpo.

Alguns fatos, objetos e resquícios encontrados sugerem que a tatuagem é tão antiga quanto o surgimento do homem. Como exemplo, as facas da Idade do Bronze são encontradas freqüentemente junto com “agulhas” e em alguns casos, com furadores pequenos, que podem ser comparados com agulhas de tatuagem.

SEGUINDO OS DADOS HISTÓRICOS TEMOS:

  °  700 mil a.C. – sítios de Neandertal – usavam pigmentos naturais para desenhar nos corpos dos mortos;
  °  100 mil a.C. – Era Paleolítica – homens adornavam o corpo com pó de ocre.
  °  15 mil a.C. – Era Paleolítico Superior – encontradas ferramentas pontiagudas e agulhas feitas de pedra e chifres;
  °  8 mil a.C. – Período Neolítico – encontradas mulheres em tumbas com figuras desenhadas pelos corpos;
    JAPÃO e CHINA – 7 mil anos a.C. O Japão teve uma grande e incomum tradição em tatuagem que acompanha toda sua cultura, e as tatuagens japonesas clássicas são famosas mundialmente. Essas clássicas tatuagens são baseadas na beleza e arte de 1800;
    ICEMAN – Um dos mais velhos, e mais conhecido, Glacierman ou Ötzi tem muitos pseudônimos, homem encontrado em 1992 enterrado sob um iceberg nos Alpes Europeus (Itália/Áustria). Morreu aproximadamente há 5000 anos – tatuagens confeccionadas por pontos e linhas retas (tribais) por todo o corpo, no total de 57;
    PRIMITIVOS (Idade do Bronze e Idade do Ferro) – 3500 anos atrás – marcas da vida biológica e marcas da vida social – deduzido por desenhos em rochas e utensílios de tatuar encontrados em escavações;
    ESQUIMÓS – 2500 anos atrás – corpos encontrados em 1948 nas sepulturas na Sibéria do Sul;

A maior quantidade de antigas tatuagens de que se tem notícia são as dos Esquimós. Encontrados nas sepulturas na Sibéria do sul na região de Pazyryk. O primeiro foi encontrado em 1948. Era o corpo de um chefe (pois havia riquezas com ele na sepultura). Morreu aproximadamente 2500 anos e o corpo foi muito bem preservado, porque foi totalmente coberto pelo gelo (como o Iceman).

    CELTA – a tatuagem toma nova feição, com figuras mais elaboradas, contendo em seus padrões, influência esquimó;
    EGÍPCIOS – 4 a 2 mil anos a.C – marcavam prisioneiros. A segunda múmia tatuada mais antiga do mundo é uma egípcia – símbolo de fertilidade na barriga, desenho espiral.
    ÍNDIOS NORTE AMERICANOS – tatuagem das tribos Sioux ligadas a práticas religiosas e mágicas.

Índios Norte Americanos também eram tatuados. Seu uso de pintura de guerra é bem conhecido. Na maioria das vezes era apenas tinta, mas o termo também aborda algumas tatuagens. É um fato conhecido de que eles eram muito tatuados. Porém, não há muitas provas fotográficas a respeito.

MAIAS, INCANS E ASTECAS – usam tatuagem para indicar posição social.
VIKINGS (dinamarqueses, normandos e saxões) – usam como marcas de guerras – foram  perseguidos durante a Idade Média (Inquisição).
 POVOS DAS ILHAS DO PACÍFICO SUL – Polinésia, Filipinas, Indonésia e Nova Zelândia (Maori) – Na Polinésia tatuagem é uma questão de postura social.
   PRIMEIROS CRISTÃOS – se reconheciam por sinais tatuados – cruzes, IHS, peixes e letras gregas.

Na era Cristã, na clandestinidade, sob o jugo do poder pagão, os primeiros cristãos se reconheciam por uma série de sinais tatuados.

BRASIL:

    TRIBO TUPINAMBÁ – Litoral de São Paulo até o Ceará – canibais, tatuagem fazia parte dos rituais antropofágicos e de passagem de idade – primeiros índios encontrados pelos colonizadores portugueses.
    TRIBO KADIWÉU – Pantanal brasileiro, Paraguai e Bolívia (Rio Paraguai) – tatuagens ornamentais e mais bonitas do Brasil.
    TRIBO CARAJÁ – Ilha do Bananal, maior ilha fluvial do mundo, entre os estados de Tocantins e Mato Grosso – tatuagens circulares no rosto.

Existe uma hipótese de que as tatuagens tiveram sua origem com marcas de cicatrizes adquiridas em guerras, lutas corporais e caças. Essas cicatrizes eram motivo de orgulho e reconhecimento ao homem que as possuísse, pois representavam força e vitória.
    A partir da idéia de que essas marcas eram sinônimo de vitalidade, o homem passou a marcar-se voluntariamente e com o tempo as cicatrizes sem sentido deram lugar a criação de desenhos.


MODERNA:

Na era moderna, a tatuagem passou por vários anos de marginalidade. Ela retorna a ser questão de relevância em nossa sociedade quando surge em artistas de música, cinema, e em pessoas comuns.

A tatuagem foi introduzida no Ocidente no século XVIII, com as explorações que colocaram os europeus em contato com as culturas do Pacífico. Nessa época não existiam tatuadores profissionais, mas alguns amadores já estariam a bordo dos navios e em grandes portos. Na segunda metade do século XIX, as tatuagens viraram moda entre a realeza européia.

No final do século XIX, a febre da tatuagem espalhou-se na Inglaterra como em nenhum outro país da Europa. Graças à prática dos marinheiros ingleses em tatuarem-se. Vários segmentos da sociedade inglesa se tornaram adeptos da arte. Mas mesmo com a realeza tendo sido tatuada, a maioria das pessoas insistia em associar o ato de tatuar com uma propensão à criminalidade e marginalidade.

    Século XVIII – introduzidas no Ocidente pelas explorações européias – 1700 capitão inglês James CooK;
    Metade do século XIX – viraram moda entre a realeza européia;
    Fim do século XIX – virou febre na Inglaterra graças aos marinheiros ingleses – a partir desta época o ato de tatuar estava diretamente ligado à criminalidade, marginalidade e até homossexualismo;
    A partir de 1920 a tatuagem começou a ficar mais comercial na América e Europa. Nesta época a tatuagem era vinculada a atrações de circo.

TATUAGEM MODERNA NO BRASIL – A tatuagem elétrica chegou ao Brasil em junho de 1959, através do dinamarquês “Knud Harld Likke Gregersen”, que ficou conhecido como “Lucky Tattoo”. Knud dizia que suas tatuagens davam sorte, e em menos de seis meses, Lucky já era notícia de TV.

A grande popularização da tatuagem nas Américas começou nos anos 70, quando a Califórnia foi o berço dos desenhos que reproduziram imagens de Marilyn Monroe, James Dean e Jimmy Hendrix. Nessa mesma época, os surfistas lançaram a moda de braços decorados com dragões e serpentes. Na década de 80, foi à vez dos tigres e das águias. Desde então, a tatuagem teve um aumento da popularidade.

O NOME É ORIGINAL DO TAHITI
, costumavam chamá-la de “TATAU” – pois a palavra se assemelha ao som da técnica da Polinésia;

A origem da tatuagem ainda é um quebra-cabeça para ciência. Já foram encontradas evidências de que os antigos egípcios conheciam a técnica há 4 mil anos a.C. A teoria melhor aceita é que do Egito, a tatuagem teria se espalhado pela Grécia, Pérsia e Arábia e depois para a Índia, China e Japão.

Para explicar a origem da tatuagem na América, existem três teorias que se confundem com as polêmicas entre cientistas sobre o povoamento da América. Poderia ter chegado através das migrações pelo Sibéria e Alasca ou através da navegação no Oceano Pacífico. Uma terceira hipótese aponta que a tatuagem se desenvolveu espontaneamente entre os povos americanos e até poderia ter chegado à Polinésia e à Nova Zelândia, através do Pacífico, pela mesma rota da expedição Kon-Tiki, que com um barco primitivo saiu da costa do Peru e foi até as ilhas dos mares do sul. A comparação entre os códigos genéticos de células de índios brasileiros e povos da Ásia constatou semelhanças entre os DNAs, o que pode comprovar a descendência asiática dos indígenas e explicar as coincidências entre as culturas.

PORQUE SE TATUAR?

As motivações são inúmeras, e não há uma forma definida ou percurso que explique o desejo e sua efetivação na realização da tatuagem, um evento a princípio, antinatural (biologicamente). O contexto, o ambiente, a época, o nível cultural, as influências, modismos, ideologias, crença e espírito despojado são alguns dos níveis que podem dar vazão ao processo. Nenhuma teoria psicológica, psicanalítica, religiosa, antropológica ou médica apresenta uma explicação exclusiva e final para a tatuagem. Considera-se um movimento complexo sobredeterminado, desde sua origem histórica até o contínuo uso na contemporaneidade.

__________________________________________________________________________
Fonte: Color up tattoo