Moda pode ser resultado da provável exposição de famosas com desenhos avantajados

Jovens de Atlântida ilustram tendência de tatuagens maiores pelo corpo Félix Zucco/Agencia RBS

Bianca Oliboni começou com um desenho pequeno, que cresceu depois de observar outros maiores nas ruas Foto: Félix Zucco / Agencia RBS
Preencher eternamente a pele feminina deixou de ser tarefa para frágeis animais minúsculos ou vegetais quase microscópicos. Por vários centímetros quadrados a mais de dragões e flores intrincadas no corpo, uma nova paisagem é perceptível agora no lugar onde as roupas são mínimas: a praia. Quatro histórias de jovens tatuadas de Atlântida ilustram essa tendência movida pela vaidade feminina. 
Em 2007, a vendedora Aline Muniz, 23 anos, decretou a ocupação de uma boa área das costas pela tatuagem de um dragão. No ano passado, foi anexada uma região superior, onde hoje brota uma flor de lótus. 
— Não gosto desses bichinhos que algumas gurias fazem, como borboletas. Gosto de tatuagem grande. Minha próxima será a de uma gueixa — anuncia.

Aline Muniz exibe dragão nas costas
Foto: Félix Zucco

Lúcia Prux, 31 anos, é uma mulher sem inverno. No verão, está em casa na Praia do Rosa ou vendendo os produtos de sua marca de trajes de praia, a Linda Guria, em outro canto do Brasil, que pode ser o litoral gaúcho. Quando fica frio, sobe para o Hemisfério Norte. Foi em uma dessas fugas que tatuou suas flores no Algarve, em Portugal. Ela não tinha muita ideia do desenho. Então, o tatuador, um paulista, falou: “vira para o lado. Vou riscar e depois você olha”. 


Lúcia Prux fez tatuagem em Portugal
Foto: Félix Zucco

A bancária Bianca Oliboni, 24 anos, também deu liberdade ao tatuador para criar. Ela começara com uma tatuagem pequena. Mais tarde, as ruas a inspiraram a entrar em uma nova aventura. 
— Via as pessoas com tatuagens maiores e achava bonito. Decidi que queria tatuar as costas — conta.
 
Ter um irmão tatuador poderia ter sido o grande incentivo para a biomédica Larissa Zorzi, 22 anos, enfrentar a agulha. Mas não. O marido a influenciou e, há 15 dias, o resultado já começava a aparecer. Ela ainda terá novas sessões para completar o desenho, um delicado conjunto com flores. Esbranquiçado, claro, por camadas de protetor solar.

Outras nove sessões esperam Larissa Zorzi para completar sua tattoo
Foto: Félix Zucco

ELES BUSCAM SIGNIFICADOS. ELAS, ESTÉTICA
 
Há 15 anos tatuando em Capão da Canoa na Vertigem Tatto — cuja sede principal fica em Porto Alegre —, Carlos Oliveira é taxativo. Mulher não dá muita bola para a dor.
 
— Elas querem algo bonito, vistoso, que as outras mulheres digam oooooohhh! — afirma.
 
Diferentemente dos homens, que entalham na pele símbolos com significados, as mulheres vão mais pela estética, explica Oliveira. Para definir os desenhos e tamanhos, atrizes e outras personalidades são a fonte de inspiração. O crescimento das tatuagens femininas, verificado a partir do ano passado, é o resultado provável da exposição, na mídia, de corpos de famosas com desenhos avantajados pelos corpos:
 
— Eu trouxe este ano para a praia uns desenhos maiores por causa da mulherada. São elas, definitivamente, que estão incentivando essas tattoos bem maiores.
 
CUIDADOS
 
> Ao fazer a tatuagem, não se expor ao sol por 10 dias
 
> Não entrar no mar, também, por pelo menos10 dias
 
> Não passar nenhum produto, somente a pomada do tipo bepantol
 
> Tatuagens devem ser preservadas do sol com o uso de protetor solar
___________________________________________________________________________________
Fonte:Zero Hora