Novas-tintas-transformam-a-tatuagem-permanente-em-reversível-001.jpg

Se nada nesta vida é para sempre, nem mesmo uma tatuagem – que por séculos foi considerada como um ato irreversível – é a exceção. As pessoas que sempre tiveram um desejo de ter um desenho, um sinal específico em alguma parte do seu corpo, agora já podem desfrutar dessa medieval forma de arte moderna sem o estresse de se perguntar se é para sempre ou não.

Algumas pessoas dizem que a tatuagem é de algo de mau gosto. Outras, afirmam que é atitude. Dizem que elas são uma forma de afirmação individual, outros dizem que é obra de arte viva.

Novas-tintas-transformam-a-tatuagem-permanente-em-reversível-125467868743514.jpgNovas tintas transformam a Tatuagem permanente em reversível (3).jpgNovas tintas transformam a Tatuagem permanente em reversível.jpg
A única coisa em que concordam todos é que a tatuagem não é um modismo, desses que vêm, marcam uma temporada e desaparecem. A tatuagem, através do tempo, consegue seguir se popularizando, tomando novo fôlego e conquistando sempre novos adeptos, em novas gerações.

A tatuagem (dermopigmentação ou ainda tattoo) é uma dos procedimentos mais conhecidos e cultuados de modificação corporal com fins não medicinais, através da aplicação subcutânea de pigmentos por agulhas.

Recentemente, a dermopigmentação avançou mais um degrau em sua escala evolutiva e agora pode ser removida, tranquilamente, por laser.
A evolução das tatuagens

Conhecidas desde o Antigo Egito, cerca de 4000 a.C., a dermopigmentaçao moderna juntou-se à ciência química para encontrar uma solução que atenda àqueles que sonham de ter uma tatuagem mas relutam diante de seu caráter de irreversível. 

Para a felicidade de muitos, novas tintas entram no mercado e podem ser removidas.
las são normalmente obtidas por suspensão (olha aqui a química!) de um corante num líquido apropriado: água, álcool, glicerina. Os corantes variam muito na sua composição: sais de cobre ou óxidos de cobalto (tintas azuis), óxidos de carbono (tintas pretas), dióxido de titânio, óxido de zinco ou carbonato de chumbo (para o branco).

A grande diferença entre as tintas convencionais e as tintas removíveis é que estas são elaboradas a partir de corantes que podem ser absorvidos e degradados pelo organismo. O pigmento é envolvido numa cápsula transparente que garante a sua permanência na pele, até quando a pessoa desejar ter a tatuagem.  A cápsula protetora é feita de um material sensível à luz, que se decompõe quando irradiado com um laser apropriado.

Quando a pessoa decide que precisa remover a tatuagem, bastará usar um laser adequado para degradar as cápsulas protetoras, libertando assim, as moléculas de corante, que, por sua vez, são absorvidas e metabolizadas pelo organismo. Em algumas horas, a tatuagem desaparece da pele, sem deixar vestígio.

Como num “passe de mágica”, sem cirurgias e sem cicatrizes. Agora, é escolher sua tatuagem e o lugar no seu corpo onde essa arte viva será expressada!

__________________________________________________________________
Fonte: Arte no Corpo.